Segunda-feira, 31 de Julho de 2006

Queen - Somebody To Love (tradução)

 
SOMEBODY TO LOVE (ALGUÉM PARA AMAR)

Qualquer um, podem me encontrar um alguém para amar?
A cada manhã [que] eu me levanto, eu morro um pouco, 
Mal consigo permanecer em pé.
(Olhe para si mesmo)
Olho no espelho e choro, (e choro)
Senhor, o que está fazendo comigo... (sim, sim)
Eu tenho gastado todos os meus anos acreditando em Você, 
Mas eu simplesmente não consigo nenhuma ajuda, Senhor!
Alguém, alguém, alguém, alguém, 
Qualquer um, podem me encontrar um alguém para amar? 
Sim, 
Eu trabalho duro (ele trabalha duro) todos os dias da minha vida, 
Eu trabalho até que sinto dor nos meus ossos.
No final (no final do dia), 
Eu levo para casa meu pagamento ganho com esforço, 
Totalmente sozinho.
Eu me abaixo (abaixo) de joelhos (joelhos), 
E eu começo a rezar
Até que as lágrimas escorram dos meus olhos.
Senhor - alguém - alguém, ooh alguém
(Por favor)
Qualquer um, podem me encontrar um alguém para amar?
(Ele trabalha duro)
Todo dia (todo dia) - eu tento e tento e tento, 
Mas todos querem me humilhar.
Dizem que estou enlouquecendo, 
Dizem que tenho muita água no meu cérebro.
Ah, não tenho bom-senso, 
Não me sobrou ninguém em quem acreditar.
Sim, sim, sim, sim.
Oh Senhor, 
Ooh alguém - ooh alguém, 
Qualquer um, podem me encontrar um alguém para amar?
(Qualquer um, podem me encontrar um alguém para amar?)
Não tenho nenhuma sensação, não tenho ritmo, 
Eu simplesmente continuo perdendo meu compasso.
(você simplesmente continua perdendo e perdendo)
Estou ok, estou bem, (ele está bem - ele está bem)
Não vou encarar nenhuma derrota. (sim, sim)
Eu só preciso sair desta cela de prisão, 
Um dia (algum dia) eu vou ser livre, Senhor!
Encontrem-me alguém para amar, 
Encontrem-me alguém para amar, 
Encontrem-me alguém para amar, 
Encontrem-me alguém para amar, 
Encontrem-me alguém para amar, 
Encontrem-me alguém para amar, 
Encontrem-me alguém para amar, 
Encontrem-me alguém para amar, amar, amar.
Encontrem-me alguém para amar, 
Encontrem-me alguém para amar, alguém, alguém...
Alguém me encontrem, 
Alguém, encontrem-me alguém para amar.
Qualquer um, podem me encontrar um alguém para amar?
Encontrem-me alguém para amar, 
Oooh encontrem-me alguém para amar.
Alguém, alguém, 
Encontrem-me alguém, alguém para amar.
Encontrem-me, encontrem-me, encontrem-me
Encontrem-me, encontrem-me alguém para amar, 
Alguém para amar.
Encontrem-me alguém para amar, 
Alguém para amar.
Encontrem-me alguém para amar, 
Qualquer um, qualquer cara
e estou obrigado a encontrar alguém para me amar.
(para amar)
Oh, encontrem-me, encontrem-me, encontrem-me amor 



publicado por gijens às 17:18
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 7 de Julho de 2006

Eu, Profundo Eu

Para ver esta imagem do tamanho original clique no link

http://www.photoblink.co.uk/im/c6/im/pb15967_a1021.jpg

Bom fds a tds

 *******************

 

Eu ,Profundo Eu

 

Ela sentiu a necessidade de escrever

E quando começou não pode parar

Escreveu tanto que as mãos ficaram tremulas

Ela não pode mais esperar

A angustia era gigante

Os pensamentos eram  um turbilhão

As idéias eram constantes

Algo estava incomodando

Não sei o que

Mas é muito real

Era um sentimento estranho

Que jamais sentira igual

Isso causava confusão

Causava agitação

Causava inspiração.

São tantas as palavras

A serem usadas agora

Mas nenhuma delas

Poderia descrever

Tão bem o que ela sente

No coração e na mente

Como o silencio descreveria

Sem se quer fazer nenhum esforço.

Sem causar alvoroço

Define em um olhar

O que a tinta não pode contar.

Nada se pode explicar

Então ela termina

Rabiscando todo o texto

E deixando apenas o final

Que dizia bem assim :

"Sou apenas Eu

O profundo eu."...

E nada mais deve ser dito

Apenas sentido

Não tente entender

Pois algumas coisas na vida

Basta apenas serem sentidas

Ame-me como sou

Ame-me

E isso basta."

 Autoria: Gisele J.


publicado por gijens às 18:14
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 4 de Julho de 2006

"Grandes Poetas"

DO INQUIETO OCEANO DA MULTIDÃO

Do inquieto oceano da multidão
veio a mim uma gota gentilmente
suspirando:

- Eu te amo, há longo tempo
fiz uma extensa caminhada apenas
para te olhar, tocar-te,
pois não podia morrer
sem te olhar uma vez antes,
com o meu temor de perder-te depois.

- Agora nos encontramos e olhamos,
estamos salvos,
retorne em paz ao oceano, meu amor,
também sou parte do oceano, meu amor,
não estamos assim tão separados,
olhe a imensa curvatura,
a coesão de tudo tão perfeito!

Quanto a mim e a você,
separa-nos o mar irresistível
levando-nos algum tempo afastados,
embora não possa afastar-nos sempre:
não fique impaciente - um breve espaço
e fique certa de que eu saúdo o ar,
a terra e o oceano,
todos os dias ao pôr-do-sol
por sua amada causa, meu amor.

(Tradução: Geir Campos)

Obra Original: WALT WHITMAN

http://eurooscar.com/poesoutros/walt1.htm

 

 

DO AMOROSO ESQUECIMENTO

Eu, agora - que desfecho!
Já nem penso mais em ti...
Mas será que nunca deixo
De lembrar que te esqueci?

Obra de : Mario Quintana
Livro:(Espelho Mágico)

 

AS SEM-RAZÕES DO AMOR

Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante o amor.

Obra de : Carlos Drummond de Andrade

http://eurooscar.com/poesoutros/drum1.htm

 

AMAR

Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal, senão
rodar também, e amar?
amar o que o mar traz à praia,
o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?

Amar, solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amor o inóspito, o áspero,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave de rapina.

Este o nosso destino: o amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na conha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesmo de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.

Obra de : Carlos Drummond de Andrade

 

OS DESEJOS DO AMOR

O amor não tem outro desejo senão
o de atingir a sua plenitude.

Se, contudo, amar é precisar ter desejos,
sejam estes os vossos desejos:

De se diluir no amor e ser como um riacho
que canta a sua melodia para a noite...
De conhecer a dor de sentir ternura de mais...
De se ferir por vossa própria compreensão do amor ...
De sangrar de bom grado e com alegria...
De despertar na aurora com o coração alado
e agradecer por um novo dia de amor...

De descansar ao meio-dia e meditar sobre o êxtase do amor...
De tornar à casa de noite, com gratidão ...
E de adormecer com uma prece no coração, para o ser bem amado,
e nos lábios uma canção de bem aventurança ...

Obra de : Khalil  Gibran

http://eurooscar.com/poesoutros/gibr1.htm

 

 


publicado por gijens às 18:59
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 3 de Julho de 2006

Sites legais

Sites legais

www.mensagemdeamor.blig.com.br

www.fabio.bligflogger.com.br

www.luamusical.mus.br

 

 

 


publicado por gijens às 17:22
link do post | comentar | favorito
|

Afinidade "Artur da Távola"

 

 


publicado por gijens às 17:09
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 2 de Julho de 2006

Frases

"O amor não tem outro desejo senão o de atingir a sua plenitude."

"A simplicidade é o último degrau da sabedoria."

"A neve e as tempestades matam as flores, mas nada podem contra as sementes."

Khalil Gibran

Ensaísta, filósofo, prosador, poeta, conferencista e pintor americano, 1883-1931

 

*****

"Crer que o universo não tenha um Criador, é o mesmo que acreditar

que o dicionário é o resultado de uma explosão numa maquina tipografica!"

"A única coisa mais cara do que a educação é a ignorância."

Benjamin Franklin

Jornalista, autor, filantropo, abolicionista, cientista, diplomata e inventor norte americano, 1706-1790

 


publicado por gijens às 03:42
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Ciúme destruidor

"Mude seus pensamentos e você mudará o seu mundo."

Norman Vincent Peale

 

Ciúme Destruidor

A vida de Ana se tornara muito ruim, desde o momento em que começou a desconfiar que Artur, seu marido, tinha outra mulher.

Ana olhava para ele e se sentia traída. Toda vez que Artur chegava atrasado do trabalho, mesmo que dissesse que fora o trânsito complicado ou uma reunião de última hora, ela pensava: "demorou por causa da outra. Devem ter se encontrado hoje. Por isso se atrasou."

A paz do lar ficou comprometida. Ele chegava cansado, ela estava mal-humorada e procurava todos os motivos para reclamar.

Por vezes, ela surpreendia Artur dispersivo, distante. O pensamento longe.

Era o suficiente para pensar consigo mesma: "olhe só como está pensativo! Aposto que está pensando nela."

Finalmente, um dia, ela resolveu seguir o marido para o surpreender.

Esperou-o na saída do trabalho. Ele pegou o carro, andou algumas quadras e parou na floricultura. Ela viu quando ele escolheu as maravilhosas flores e saiu carregando-as com carinho.

"Mau-caráter", pensou ela. "gastando com outra."

Aquilo a deixou de tal forma desconsertada, que começou a chorar. Foi para casa e se jogou na cama. Chorou muito.

Pouco depois, ela ouviu a porta abrir e seu marido chegar. Escutou os passos dele na escada, subindo até o quarto do casal, onde ela estava.

Mal o viu adentrar o quarto, ela se sentou na cama, os olhos vermelhos de chorar, os cabelos em desalinho e desabafou:

"Eu vi tudo. Você não pode negar. Comprou flores para ela. Rosas vermelhas maravilhosas. Você me traiu. Traiu o nosso amor."

Alterada, ela se levantou e avançou na direção dele.

Para sua surpresa, verificou que ele trazia nas mãos o lindo ramalhete de rosas vermelhas.

Um pouco chateado, estendendo o ramalhete para ela, ele falou:

"Ana, hoje é dia do nosso aniversário de casamento. Você nem se lembrou?"

.............................................................

O ciúme cria quadros exagerados, fomentando desconfiança. Atestado de insegurança, destrói o relacionamento pelo clima de tensão que cria a todo momento.

Cultivador da infelicidade, o ciúme altera a correta visão dos fatos, aumentando a importância de pequenos atrasos, desejos não atendidos, esquecimentos de datas e compromissos a dois.

Criando azedume, envenena a alma e desassossega o pensamento.

Colocando óculos escuros na visão mental, tudo faz parecer escuro, sombrio, devastador.

Uma distração é tida à conta de desinteresse. O atraso para um encontro é considerado desrespeito.

Fora da realidade sempre, o ciúme provoca cenas desastrosas e desgastantes, em situações onde uma leve indagação ou uma conversa a dois, com toda a certeza, resolveria.

.............................................................

Nunca deixemos que o ciúme nos atormente. Ele é o responsável pela devastação de corações e de lares.

Se nos sentimos inseguros, fortifiquemos a relação a dois com diálogos mais profundos, com saídas para um passeio ao luar ou um final de semana a sós.

Se o outro estiver, verdadeiramente, permitindo que a relação esfrie, que o amor amorne, providenciemos o melhor para o estreitamento dos laços afetivos, guardando a certeza de que é nos pequenos gestos que a relação se torna mais forte, mais firme.



publicado por gijens às 03:41
link do post | comentar | favorito
|

Construindo Pontes

"Se achas bom ser importante, um dia descobrirás que é mais importante ser bom."

Roque Schneider

 

Construindo Pontes

Conta-se que, certa vez, dois irmãos que moravam em fazendas vizinhas, separadas apenas por um riacho, entraram em conflito. 

Foi a primeira grande desavença em toda uma vida trabalhando lado a lado, repartindo as ferramentas e cuidando um do outro. 

Durante anos eles percorreram uma estrada estreita e muito comprida, que seguia ao longo do rio para, ao final de cada dia, poderem atravessá-lo e desfrutar um da companhia do outro. Apesar do cansaço, faziam a caminhada com prazer, pois se amavam. 

Mas agora tudo havia mudado. O que começara com um pequeno mal entendido finalmente explodiu numa troca de palavras ríspidas, seguidas por semanas de total silêncio. 

Numa manhã, o irmão mais velho ouviu baterem na sua porta. Ao abri-la notou um homem com uma caixa de ferramentas de carpinteiro na mão. 

Estou procurando trabalho- disse ele. Talvez você tenha um pequeno serviço que eu possa executar. 

Sim! - disse o fazendeiro - claro que tenho trabalho para você. Veja aquela fazenda além do riacho. É do meu vizinho. Na realidade, meu irmão mais novo. Nós brigamos e não posso mais suportá-lo. 

- Vê aquela pilha de madeira perto do celeiro? Quero que você construa uma cerca bem alta ao longo do rio para que eu não precise mais vê-lo. 

Acho que entendo a situação - disse o carpinteiro. Mostre-me onde estão a pá e os pregos que certamente farei um trabalho que lhe deixará satisfeito. 

Como precisava ir à cidade, o irmão mais velho ajudou o carpinteiro a encontrar o material e partiu. 

O homem trabalhou arduamente durante todo aquele dia medindo, cortando e pregando. Já anoitecia quando terminou sua obra. 

O fazendeiro chegou da sua viagem e seus olhos não podiam acreditar no que viam. Não havia qualquer cerca! 

Em vez da cerca havia uma ponte que ligava as duas margens do riacho. 

Era realmente um belo trabalho, mas o fazendeiro ficou enfurecido e falou: você foi muito atrevido construindo essa ponte após tudo que lhe contei. 

No entanto, as surpresas não haviam terminado.

Ao olhar novamente para a ponte, viu seu irmão aproximando-se da outra margem, correndo com os braços abertos. 

Por um instante permaneceu imóvel de seu lado do rio. Mas, de repente, num só impulso, correu na direção do outro e abraçaram-se chorando no meio da ponte. 

O carpinteiro estava partindo com sua caixa de ferramentas quando o irmão que o contratou pediu-lhe emocionado: "espere! fique conosco mais alguns dias". 

E o carpinteiro respondeu: "eu adoraria ficar, mas, infelizmente, tenho muitas outras pontes para construir." 

E você, está precisando de um carpinteiro, ou é capaz de construir sua própria ponte para se aproximar daqueles com os quais rompeu contato? 

..............................................

As pessoas que estão ao seu lado, não estão aí por acaso. 

Há uma razão muito especial para elas fazerem parte do seu círculo de relação. 

Por isso, não busque isolar-se construindo cercas que separam e infelicitam os seres. 

Construa pontes e busque caminhar na direção daqueles que, por ventura, estejam distanciados de você. 

E se a ponte da relação está um pouco frágil, ou balançando por causa dos ventos da discórdia, fortaleça-a com os laços do entendimento e da verdadeira amizade. 

Agindo assim, você suprirá suas carências afetivas e encontrará a paz íntima que tanto deseja.


publicado por gijens às 03:37
link do post | comentar | favorito
|

A Resposta da Gratidão

"A felicidade é um fruto que se colhe da felicidade que se semeia." (Thomas Hardy)

 

A Resposta da Gratidão

Jim nunca imaginou que as coisas acontecessem daquela forma. Enquanto trabalhava como salva-vidas, amava o que fazia.

Num dia de folga, andando pela praia, ele viu uma mulher em perigo. Jogou-se n´água e a trouxe para a praia.

Depois a carregou até o posto salva-vidas, onde uma ambulância a levou para o hospital.

Victória ficou muito agradecida e passou a visitá-lo, de vez em quando, no posto.

Quando sabia que ele estava trabalhando, mandava-lhe pizza. Jim retribuía com visitas e telefonemas.

Os outros rapazes faziam gozação da sua amizade com aquela senhora. Ele não ligava.

Durante anos, mantiveram a amizade. Certo dia, retornando de uma viagem, Jim ligou para a casa dela. Quem atendeu foi uma jovem, que se identificou como Bárbara.

Era sua sobrinha. Contou-lhe que Victoria havia morrido, vítima de um derrame. A sobrinha viera de outra cidade para resolver alguns negócios da tia.

Ela sabia tudo a respeito dele porque sua tia lhe falou. O tempo passou.

Uma noite, numa festa na praia, com amigos, Jim percebeu que as coisas estavam saindo do controle.

Bebidas e drogas começaram a circular. Ele decidiu ir embora. Logo depois, uma mulher que ele havia conhecido apenas algumas horas antes, também saiu.

Quando ela foi dada como desaparecida e seu vestido esfarrapado foi encontrado ao lado da estrada, ele foi acusado de assassinato.

Parecia um pesadelo. Ele mal a conhecia. Era uma acusação maluca. Mas a polícia precisava de um suspeito. E ele era um suspeito.

Um defensor público foi indicado para cuidar do seu caso, porque ele não tinha dinheiro. Foi preso e a fiança estipulada em um valor elevadíssimo.

Jim achou que não teria mais saída. Então, um dia, recebeu um telefonema.

Era Bárbara. Formada em direito, ela ouviu o noticiário a respeito da sua prisão e perguntava se ele aceitaria que ela o defendesse gratuitamente.

Jim aceitou de pronto. Ela começou a se inteirar dos detalhes do caso.

A única testemunha ocular que identificou Jim, como o homem que saiu da festa com a mulher, descreveu o casal como sendo da mesma altura.

Alguma coisa estava muito errada. A suposta morta tinha 1,65m. Jim tinha quase 1,80m.

Graças a esse detalhe, ela conseguiu que a fiança fosse reduzida e Jim pôde ir para casa. Aquilo foi um presente para ele.

Ela contratou um detetive que, depois de algum tempo, descobriu que a suposta vítima vivia num país vizinho.

Ela decidira sair de casa e abandonar o marido para começar uma nova vida, com outra pessoa.

Depois de muita insistência, meses de trabalho, conseguiram que a mulher retornasse e se mostrasse à polícia, provando que estava viva.

Jim estava livre da acusação. Hoje, ele vive com sua mulher e três filhos.

Tem uma fazenda e dirige sua própria fábrica.

Mas nunca vai esquecer aquela amizade especial com Victoria.

Comenta ele: "se aquela doce senhora não falasse de mim para sua sobrinha como o fez, é bem possível que eu estivesse apodrecendo na prisão, pelo resto da minha vida. Devo minha vida àquela mulher."

No entanto, Bárbara tem uma versão diferente: "ele merecia minha ajuda. Ele salvou a vida de alguém que nem conhecia, mesmo não estando em serviço naquela hora. Esse tipo de amor pela humanidade não fica sem recompensa."

.........................

Faça o bem, sem nunca aguardar recompensa. Mas guarde a certeza que os benefícios lhe chegarão, de alguma forma, neste mundo ou no outro.

Isto porque à toda ação corresponde uma reação. E o bem somente gera bem maior.


publicado por gijens às 02:59
link do post | comentar | favorito
|

Me perdi

Me Perdi

 

Me Perdi Tentando Achar Você

Me Desencontrei Ao Te Encontrar

Me Auto Destrui Quando Te Segui

Achei Que Fazendo A Sua Vontade

Eu Não Precisaria Ter Vontade

Que Realizando Seus Sonhos

Os Meus Também Se Realizariam

Eu Enfrentei O Medo Da Incerteza

Enfrentei A Dor E A Fraqueza

Só Pra Me Tornar Sua

Fiz Tatuagem Do Seu Rosto

Mas A Pele Eu Apago;

O Problema É O Coração Que Ficou Marcado

Furei-Me Diversas Vezes Pra Usar Suas Joias

Bebia O Que Você Bebia

Só Pra Ter O Mesmo Gosto Na Boca

Mais Um Dia Eu Acordei E Percebi

Que A Vida Que Eu Vivi Não Era Minha

Que Os Sonhos Que Realisei Nunca Foram Meus

Que A Bebida Que Bebi Eu Não Gostei

E O Rosto Que Gravei Não Me Dizia Nada

Então Me Deseperei E Me Perguntei

Onde Está O Meu Eu ?...

Gisele  J


publicado por gijens às 02:11
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 1 seguidor

.pesquisar

 

.Junho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Frases para pessoas espec...

. Cisnei

. Quem acredita sempre alca...

. Como morrem os amores

. Aprendi .W.S

. O Virtual e o Real

. O Zelador da Fonte

. Citações poéticas

. O MISTÉRIO DO RELACIONAME...

. PRA QUE SERVE UMA RELAÇÃO...

.arquivos

. Junho 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

.links

Steppenwolf - Born to be Wild
SAPO Blogs

.subscrever feeds